quinta-feira, 1 de maio de 2008

Hoje também é o meu dia de trabalhador, por isso: Murganheira super-reserva bruto 2004



Mantenho vivo aquele refrão da «terra a quem a trabalha».

Manhã cedo, o equivalente a seis cafés mais dois pães com queijo amanteigado (de Seia) e vá de assobio até à horta (5000 m2).

As raízes das plantas querem-se com aconchego da terra, vai daí, três dúzias de pimenteiros transplantados, seguidos de uns tomateiros daqueles cujo fruto parece uma maçã espriega, um curto descanso a namorar a flor dos marmeleiros e depois mãos à obra, que a promessa era de meter umas vides de moscatel previamente abaceladas, agora já no sítio definitivo.
Digo-vos assim de mansinho, num sussurro de pé-de-orelha que não posso com uma gata pelo rabo.

Pelo sim pelo não, tomada que está a dose de água fria recomendada pelo bastonário da ordem dos médicos e cruzada anti-oftalmologistas cubanos, vou entregar-me a outro tipo de trabalho, mais soft. Mesmo assim, ergo a minha taça a quem, por razões corriqueiras, se tenha que entregar a tarefas e actividades inglórias, tais como as que se vão seguir.

Um Bom Dia Primeiro de Maio a todas e a todos.